E tem outra coisa…

Este post é um complemento ao post Ideologias vs. respeito e liberdade de escolha.

Conversando com minha família o comportamento dos velhos da comunidade, sobre as escolhas relacionadas ao Ubuntu por parte da Canonical e sobre minhas decisões com relação a isso tudo, em colocar um hiato em meu envolvimento com as comunidades livres, lembrei-me do filme Happy Feet.

O fato do filme tratar da vida dos pinguins não é mera coincidência.

Todos os pinguins daquela região sabiam cantar magnificamente. Seu estilo de canto, embora lindo e que vinha há gerações de pai para filho, era conhecido por todos.
Happy Feet nasceu, mas ele era diferente dos outros pinguins. Não sabia cantar. Seu dom era dançar.

Humilhado pelos seus companheiros por ser diferente, Happy Feet só queria ser ele mesmo. Tentava cantar a mesma música, mas não tinha voz para isso. Seu dom era dançar. Seus pézinhos, incansáveis, não paravam de se mexer. Conforme os outros cantavam, ele dançava, mas seu estilo diferente de ser assustava os outros, principalmente os mais velhos. Foi escurraçado e expulso da comunidade em que vivia.

Mundo afora, fez amigos diferentes, com comportamentos diferentes, culturas diferentes. Sua comunidade, que não chamava muito a atenção, embora sempre cantasse uma bela canção, estava cada vez mais sem motivos para cantar. O alimento da região estava acabando e eles estavam esquecidos. Poderiam morrer de fome…

Happy Feet decide voltar para sua comunidade, mas desta vez, com um aparato diferente e que poderia mudar a sorte de sua raça, seus parentes e seus amigos. A dança de Happy Feet contagiou a todos, e os mais velhos julgavam que era o fim, até que a ajuda aparece, ajuda essa, que veio por causa do jeito irreverente e único do pinguim que dançava.

Assim é o Ubuntu. Um sistema que, embora queira cantar a mesma música composta pela Free Software Foundation, ele possui um comportamento diferente. Compartilha da mesma visão, mas não precisa ser igual aos outros.

Depois do Ubuntu, o crescimento do Linux no mercado Desktop foi significativo (relacionado aos anos anteriores à sua existência). O alimento que chegou para a comunidade de Happy Feet, pode ser comparado com a melhoria nos drivers, no suporte de fabricantes de hardware crescendo, na quantidade de softwares sendo portado para a plataforma e grandes empresas como a Valve de olho no Linux. Os velhos que reclamam do comportamento de Happy Feet, bem…esses eu não preciso dizer a quem podem ser comparados na comunidade de Software Livre.

Não fosse pelo Ubuntu, em poucos anos, as comunidades livres seriam apenas mais uma lembrança de uma época em que nerds e adolescentes espinhentos ficavam tentando hackear sistemas alheios e servidores de internet.

Happy Feet é uma quase uma previsão do que está acontecendo.
Assistam Happy Feet. É emocionante e comovente como filme e é uma lição para a comunidade livre.

Anúncios

10 opiniões sobre “E tem outra coisa…”

  1. seu texto é muito bom mesmo! esse povo da Free Software Foundation vai vicar cada vez mais presos em uma concha.Estão muito presos a essa ideologia de que tudo tem que ser livre mesmo que para isso tenham que perder adeptos. eu penso assim o sistema tem que ser o mais funcional possível! seja linux, mac ou win.

  2. Kadu !! Opiniões contrárias sempre irão existir !! Críticas construtivas e falácias também !!
    Existem muitas pessoas, que necessitam e absorvem os textos do site, Richard Stallman defendeu o ponto de vista irredutível dele, acho lamentável, porém o mesmo tem o direito de se expressar.
    Assim como você se expressa através do site, ajudando pessoas e mais pessoas.
    Enfim fica quem quiser, e sai quem quiser, temos a liberdade de escolher tudo a nossa volta.
    Ubuntu é apenas uma das vertentes desse mundo das escolhas, portanto siga em frente com o seu maravilhoso trabalho e não abonde o barco, pois o caminho das pedras está apenas no começo.
    Imaginem os user novos sem as facilidades do Ubuntu ? Imaginem o pessoal leigo instalando um Slackware na unha ? No mundo de hoje precisamos de coisas boas, rápidas e simples, e o Ubuntu nos trás tudo isso. Mais uma vez fica quem quiser !!
    Essa é minha humilde opnião nesse mundo tão vasto.
    Stallman, você precisar conhecer a famosa frase do Filosofo Francês “Voltaire” Posso não concordar com uma palavra do que fala, mas defenderei até o morte o direito de dizê-las.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s